Quem precisa fazer a nova placa Mercosul para veículos?

Muitos motoristas estão confusos sobre a nova placa Mercosul; afinal, quem precisa fazer a troca? Confira todos os detalhes a partir de agora

Já faz certo tempo que os proprietários de veículos do Brasil estão aguardando definição sobre o uso das placas Mercosul: trata-se de um novo modelo de emplacamento, válido para todos veículos do país.

Chegou a ser noticiado que ele já começaria a ser usado no Rio de Janeiro, mas o governo federa ampliou o prazo mais uma vez: agora, a previsão é para junho de 2019.

Se você não sabe como é a placa Mercosul e nem se o seu veículo vai precisar dela, continue neste artigo. Saiba também se essa mudança de emplacamento causará mais gasto aos proprietários.


Por que mudar o modelo de placas para a placa Mercosul?

O sistema de emplacamento usado no Brasil já é ligeiramente antigo e, como tem funcionado, muitos motoristas questionam o motivo de mudá-lo.

Basicamente, há duas justificativas para essa alteração e a primeira é melhorar a identificação de veículos que transitam para outros países.

Uma pessoa que costuma viajar de carro para outras nações que sejam parte do Mercosul, por exemplo, poderá ter o seu veículo mais facilmente identificado pelas autoridades, inclusive digitalmente.

Além desse compartilhamento de informações com os outros países do bloco, existe outro motivo para mudar a placa: o novo sistema proporcionará que muito mais combinações de letras sejam feitas: o número passa dos 450.000.000.

Quem precisa fazer a nova placa Mercosul para veículos


Quem precisa fazer a nova placa Mercosul para veículos?

A mudança da placa não será exigida para todos os veículos, mas sim para os que se identificarem com a lista abaixo:

  • Transferência de dono;
  • Mudança de categoria (quando um carro de passeio passa a ser usado como táxi e precisa fazer alteração de categoria no Departamento Estadual de Trânsito);
  • Veículos novos;
  • Veículos que estão mudando de cidade de circulação;
  • Veículos que precisam de nova placa porque a sua está danificada (o proprietário será obrigado a já fazer a placa Mercosul);
  • Veículos que circularão fora do país;
  • Quando a vistoria reprovar a placa.

Características da placa Mercosul

Quem compara o modelo vigente de placas de veículos com o modelo Mercosul percebe duas coisas: que esta última tem muito mais elementos e que o seu design é diferente.

Primeiramente, ela tem o fundo branco com uma pequena faixa superior azul clara; nesta faixa, está escrito BRASIL com letras maiores e brancas e, no canto esquerdo, está escrito MERCOSUL, também em branco.

A maior parte da placa será destinada à combinação de letras e de números; nessa área haverá uma marca d’água e um QR Code, que vai permitir a identificação digital do veículo mais facilmente.

Uma miniatura da bandeira brasileira ficará no canto superior direito; no canto oposto, em diagonal, estará o distintivo do país (trata-se das letras BR).

O Hot stamp dessas placas também serão personalizados. Para quem não sabe o que é o hot stamp, nada mais é do que a pintura das letras e dos números: será possível ler “MERCOSUL” em branco.

Quem está bem familiarizado com as placas atuais de veículos pode estar se perguntando em que parte do modelo novo estará a indicação de cidade: não estará.

Os veículos que estiverem com o emplacamento padrão MERCOSUL só terão, a olho nu, a identificação do país: para saber a cidade, o único meio será usando a leitura do QR Code.

Vale salientar que essa não era a primeira opção: os brasões do Estado e da cidade estavam, em miniatura, do lado direito da placa. Porém, o Conselho Nacional de Trânsito (CONATRAN) vetou essa informação.


Como emplacar o veículo com nova placa Mercosul?

O processo para emplacar o veículo não será alterado. Veja como proceder:

  • De posse da nota fiscal, o proprietário deve acessar o site do DETRAN do seu Estado e procurar por “emplacamento” na pesquisa, solicitando os documentos;
  • Preenchendo tudo, essa pessoa vai ao Poupatempo ou ao próprio DETRAN para receber o número da placa;
  • A próxima etapa é fazer o preenchimento do RENAVAM e depois ir a uma agência bancária para pagar o seguro obrigatório (DPVAT), os impostos, o IPVA e as taxas;
  • Com todas essas coisas pagas e os documentos retirados até agora, o proprietário volta ao DETRAN e se dirige à área “Classificação de placas” para deixa toda a documentação;
  • O DETRAN levará alguns dias para convocar o proprietário e, quando fizer isso, será para já entregar a placa.

Não se tem confirmações a respeito de quanto o novo emplacamento custará, inclusive porque cada UF pode cobrar um valo.

Entretanto, a placa Mercosul não terá a necessidade de lacre, o que a tornará mais barata; no caso do Rio de Janeiro, onde já circulam algumas placas no modelo novo, a redução de preço chegou a ultrapassar os R$ 100,00.

Não há prazo para as pessoas fazerem a placa no modelo Mercosul e, por isso, não haverá penalizações a quem estiver com o modelo antigo.

Links Patrocinados

DetranBR

O DetranBR é um site não-oficial e não possui qualquer vínculo com os Detrans. A página tem como objetivo informar e esclarecer dúvidas sobre o os serviços oferecidos pelo órgão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *